terça-feira, 25 de abril de 2017

Minha primeira vez.



Quando ainda era um adolescente meus pais moravam em uma fazenda como trabalhavam na cidade eu ficava com a empregada o dia inteiro. O tempo foi passando e eu cresci. E a empregada continuou a mesma por uns 10 a 12 anos.
Esta empregada era alguns anos mais velha que eu éramos muito ligados mas, ficávamos sempre sozinhos o dia todo.
Sara era uma negra meio gordinha, dentes alvos, com os seios fartos e uma bunda enorme.
Estava com meus 18 anos quando um dia andando pela fazenda eu a peguei transando com o empregado da fazenda vizinha à do meu pai.
Eles estavam transando no curral de nossa bem perto da casa. O rapaz devia ter uns 22 anos, e também era negro. Sara já tinha seus 25 anos.
Ela estava deitada em cima de uma velha mesa, com as pernas abertas, enquanto ele em pé a bombeava de forma vigorosa. Nunca tinha visto ninguém transando antes.
Fiquei excitado é claro afinal ver alguém transando ao vivo acorda até defunto... Me afastei do curral e fui atrás da casa segurei meu cacete que estava muito duro e comecei e me masturbar ali mesmo. Depois deste dia eu comecei a seguir Ana só para ver ela transar com seu namorado. Quase diariamente eles se encontravam no mesmo lugar para transar. Eu fiquei vivido em vê-los e mais viciado ainda em bater punheta.
Eu ficava escondido esperando. O tesão por Sara foi me possuindo foi aí que eu passei também a espiá-la pelo buraco da fechadura quando ela ia tomar banho.
 Como era maravilhoso vê-la nua se ensaboando ficava como um louco cheio de tesão foi a partir daí que viciei na punheta pensando em Sara.
Até que um dia ela me pegou olhando pelo buraco da fechadura e disse que iria falar com minha mãe. Eu logo disse se ela contasse também eu iria contar o que ela andava fazendo com o empregado da fazenda vizinha no curral.
E com certeza seria mandada embora. Ela se assustou foi pega de surpresa e me pediu para não contar nada, senão ela seria demitida... E chorando pediu por tudo que faria tudo que eu quisesse.
Foi ai que me surgiu a ideia.
Então eu disse que queria fazer com ela o mesmo que o namorado dela fazia.
Ela disse que não pois se o namorado soubesse acabava matando a gente. Eu insistir dizendo que não tinha como o namorado saber já que ele não tinha acesso a casa.
Ela disse que estava certo então que naquela mesma tarde depois do almoço ela iria trepar comigo.
Foi ai que eu falei que era donzelo de buceta, que apesar de ter 18 anos nunca tinha trepado. Ela soltou uma gargalhada dizendo que ia gostar de quebrar meu cabaço de menino donzelo.
E saiu rebolando provocando. Logo que almoçamos eu falei com ela que a esperava no meu quarto as 14 horas que viesse sem falta.
Ela disse que ia arrumar a cozinha tomar um banho e já iria.
Tomei banho vesti uma cueca box vesti um short por cima e fiquei deitado na cama vendo um filme pornô. Logo ela veio estava com um vestido folgado ai começamos a nos pegar, logo meu cacete estava bem duro Ana se ajoelhou a meus pés abaixou meu short e começou a me chupar com tanta maestria que não aguentei por muito tempo e gozei em sua boca.
Foi meu primeiro boquete e minha primeira leitada na boca de Sara uma deusa na arte de trepar.
Mesmo depois de gozar, meu cacete continuava duro. Deitei na cama e ela sentou em meu cacete teso, rebolando gostoso, com aquele traseiro maravilhoso.
 Passei a apalpar seus seios imensos e deliciosos. Ela gemia muito.
 Acabei gozando novamente. Sara deitou-se ao meu lado na cama e me pediu para chupar sua buceta. Era a minha primeira chupada de início comecei meio desastrado mas logo me deliciava chupando aquela xota quente e meladinha.
Muito bom quem nunca chupou não sabe o que anda perdendo.
Ela abria o quanto podia a xoxota para que eu metesse toda a minha língua, socava dentro mesmo.
Era um contraste de cores sua pele negra com o vermelho dentro de sua gruta meladinha. Chupei o seu clitóris com tanto gosto que ela gozou em minha boca. Eu soube aproveitar cada gota de seu mel. Muito bom eu fazia a safadeza, mas ela me dizia como era mais gostoso eu é claro fui bom aluno aprendi o bê-á-bá do sexo rapidinho.
Ai fomos tomar um banho, no banheiro ela me pagou um novo boquete, derramei leite em sua boca e pelo rosto inteiro.
Safada bebia tudo.
Ai voltamos para cama.
Como eu tinha visto o macho dela comendo seu rabo eu disse que queria também a sua bunda, ela fez corpo mole, mas depois de insistir muito ela acabou me atendendo.
Foi uma das experiências mais deliciosas que tive, o instinto animal lhe leva a fazer coisas que você apenas imaginava, logo você já vira um expert no assunto.
Quando Sara ficou de 4 na cama eu fui por trás dela, ambos cheirosos enfiei minha cara em sua bunda e então lambi com gosto aquele rego gostoso. Ela gemia rebolava.me chamava de moleque atrevido ai mostrei a ela o tamanho do meu atrevimento. Soquei sem dó fazendo ela gemer e rebolar gostoso com meu cacete atochado em sua bunda até seu cu ficar alargado de tanto eu foder.
Ela rebolava gostoso, gemia, pedia para que bombeasse com força. Gozei novamente. Quando tirei meu cacete ainda vibrando de tesão, percebi que a camisinha tinha estourado ai foi que vi o esperma escorrendo em suas pernas. Isto foi apenas o começo de um aventura muito gostosa.
Depois desse dia passei a transar constantemente com Sara logo que meus pais saíam e tardezinha a safada ainda tinha tesão suficiente para transar com o seu namorado no curral de nossa fazenda. Muitas vezes de madrugada eu ia até seu quarto e odiamos bem gostoso, mas com maior cuidado para não fazer barulho. Foi minha melhor época.
Sara passou a ser minha professora em matéria de sexo, me ensinando todo tipo de posições que ela conhecia.
Ficamos amantes por mais de 2 anos, aí fui embora da fazenda Sara casou-se com o namorado dela, teve um filho mas ficou morando na fazenda vizinha e ainda depois disso em uma época de férias que eu passei na fazenda ainda transamos, só para relembrar o passado. Ela estava mais safada ainda. Foi uma noite de muito sexo, ainda mais que foi na casa simples que ela morava com o marido dela. Adrenalina a mil. Depois fui embora estudar fazer faculdade e demorei mais de um ano para voltar na fazenda aí soube que eles tinham ido embora. Uma pena pois mesmo sendo casada eu era grato a ela por me ensinar tudo que eu não sabia na época de adolescente.
Agora já tenho 25 anos tenho namorada, mas não deixo de pegar quem me dá bola. Pois sexo nunca é demais.
Tenho verdadeira tara por mulheres negras. E volta e meia acabo saindo com alguma colega negra da faculdade e o sexo rola muito gostoso.




Docecomomel
Feira de Santana,25 de abril de 2017.
Bahia Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suas palavras...Minhas emoções!

Marcadores

Crie Não Copiei

Crie Não Copiei

"Meu Nascimento" 12/07/2010.

"Meu Nascimento" 12/07/2010.
Como sem querer envoltos em pensamentos de carinho e amor nasceu a concepção deste Blog. Meus contos são a prova viva de quem sabe não precisa nascer sabendo.Aprendi a andar sozinha e sei o meu real valor...O que muitos que se julgavam capazes pisam e desmoralizam. Nada sabem. Não sou fake nem tão pouco poetisa. Sou Mulher humana que faz de seus descaminhos errantes estradas de Paz e Luz para todos."Sou docecomomel(hgata)" Meu primeiro conto erótico 12/7/2010.

Posts