.

.

Acessos em Êxtase !

.Contos Eróticos de Docecomomel

.Contos Eróticos de Docecomomel

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Tornei-me uma Sub







Estava*EU em uma balada e um rapaz chegou perto de mim me xavecando eu estava com raiva, pois tinha brigado com meu namorado, o safado não valia nada, estava curtindo com uma e outra, eu para não dá o braço a torcer, não fui embora e quando aquele rapaz que conhecia só de vista começou a me xavecar eu resolvi dá o troco.
Afinal quem era ele para me deixar na mão e ainda falar mal e me trair com qualquer uma.
Sou uma lady, mas resolvi liberar meu lado safado. Sou Célia tenho 32 anos sou solteira, brigada com namorado, Marcos que é muito safado e sempre quando acontece de brigarmos ele vira um galinha e pega todas as mulheres que encontra só para me pirraçar. Mário não tem esta de beijar e abraçar ele acha que mulher precisa de carinho e na concepção dele sexo é a melhor forma de dá carinho,em parte ele tem razão no momento do ato sexual a junção de corpos e mentes é um verdadeiro ato de amor.
Assim eu na festa sozinha vendo meu ex com uma e outra entrei em estado de raiva que resolvi me vingar... Foi quando alguém que eu apenas conhecia de vista se aproximou e...
E conversa vai e vem o cara que me paquerava soube do ocorrido e me pediu para eu esquecer aquele Zé Mané filho de uma puta e ficar com ele na boa.
Ele era até bonito e parecia ser legal, resolvi dar uma chance, afinal seria dois coelhos com uma cajadada só... Não ficaria só e ainda me vingava do safado do meu ex-namorado também
Só que pensei que estaria me vingando, mas nada o que ele queria mesmo era sexo. Dançamos e bebemos muito e já de madrugada falei que queria ir embora, foi quando ele falou:
- Vamos a um lugar mais calmo amor assim podemos ficar mais à vontade.
-Eu já tinha tomado algumas e queria muito ser amassada e beijada bem gostoso, afinal a vingança teria que ser completa.
Ele me levou até onde seu carro estava estacionado no meio de uma rua, que era meio deserta.
Encostamos-nos ao carro, que estava sobre uma árvore e o local estava bem escuro.
E começou a me beijar gostoso, enfiava a mão pelo decote e apalpava meus seios. Eu sentia o maior tesão.
Ninguém na rua só de longe se ouvia o som da festa e um vigia na esquina.
Quando vejo, ele estava com muito tesão, seu cacete duro quase estourava a calça.
Foi quando ele abriu o éclair botando seu cacete para fora.
E eu disse: Calma cara, ainda é cedo, ele se irritou comigo e foi falando.
-Calma nada minha putinha te quero foder como a uma cadelinha tal como é.
-Eu disse que não queria transar, apenas namorar, ele ficou irritado, segurou pela minha cintura e foi falando:
- Você sempre deu para o idiota do seu ex, que é um galinha agora vai querer dá uma de santinha comigo é?
-Pois também vai ter que dar para mim... Como eu quero.
- Eu respondi que não queria, ele disse que cadela não tinha querer e que eu seria obrigada... -Senão ele voltava lá na festa e faria maior barraco.
Tentei de todas as formas convencê-lo que eu não seria bom fazer sexo no primeiro encontro.
- Ele insistia muito dizendo que nada tinha haver que queria me comer ali e agora. Fiquei com medo e ameacei gritar, aí ele ficou mais calmo e foi falando mais baixo sendo mais carinhoso com suas palavras.
- Deixa de bobagem, gostosinha, tudo tem uma primeira vez.
-Não custa nada, você vai gostar, não vou contar para ninguém, depois quem sabe seu ex- resolva te querer novamente, vem ficar comigo eu prometo te fazer feliz, nem que seja por alguns minutos.
-Mas eu ainda tente dizer não. Mas para ser sincera estava carente e morrendo de vontade de transar com ele naquele momento, ele notou e começou me apertando de encontro ao carro apertava os bicos dos meus seios, beijava minha boca.
Foi algo que eu queria, não resistia, meu corpo ansiava.
Quando ele suspendeu minha saia, rasgando minha calcinha, soltei um gemido alto. Foi quando ele disse que se eu gritasse seria pior e que era para eu ficar quietinha sem nenhuma reclamação. Gritei de tesão,quando ele enfiou seus dedos em minha xoxota.
Ele mandou eu me ajoelhar, abaixou a calça até os joelhos botou o cacete babando todo de fora e segurando por meus cabelos me mandou chupar, sem muita conversa. Claro que eu queria, mas parecia ser obrigado o tesão aumentava mais ainda e. Enquanto eu chupava ele pressionava minha cabeça contra o seu corpo, falando palavrões:
- Chupa gostoso, vadia, chupa cadela não era isto que você queria safada tesuda.
- Ele socava sem dó na minha boca, o cacete dele não era grosso, mas comprido e um pouco fino, fazia ser maior ainda, eu só tinha chupado do meu namorado.
Depois de chupar muito ele me mandou parar, segurou pelos meus cabelos e eu com a boca aberta ele gozou horrores.
-Quem disse que deixou cuspir me fez fechar a boca dizendo tome o leitinho de seu dono safada.
Em seguida pegou em minha cintura e me jogou contra o capô do carro suspendeu bem minha saia deixando minha bunda toda de fora, terminou de rasgar minha calcinha tirando-a por completo...
-E apalpando minha bunda, deu alguns tapas... dizendo êta potranca gostosa.
Colocou uma camisinha e veio empurrando seu cacete entre minhas coxas. Estava duraço chegava a fazer um arco apontando para o umbigo.
E começou a socar gostoso eu é claro rebolava enquanto ele ficava no vai e vem, socava gostoso mesmo.
Tirava o cacete quase todo e em seguida metia de uma vez só eu via estrelas, quase gozava logo.
Eu nem sabia como ele conseguia meter e ainda ficava apalpando minhas coxas, bunda e peitos, sempre me falando o quanto era vadia, vagabunda, mas muito gostosa.
Foi assim que gozei, ele aproveitou ainda ficou dedilhando no meu grelo, gozei horrores como nunca tinha feito na minha vida... Aff que safado que sabia das coisas.
Gozei horrores apoiada no capô do carro naquela rua escura. Nem me dei conta que estava em via publica, também já ás 4 horas da manhã.
Foi quando ele me pediu para ficar de quatro (4) no chão atrás do carro entre a calçada e um muro alto de uma casa.
O chão era ruim cheio de pedrinhas, meus joelhos não ia suportar aquela posição.
Foi quando ele tirou os sapatos e botou para eu poder ajoelhar.
Seu cacete estava mais duro ainda, foi assim que fiquei de quatro ele cuspiu em meu anel e começou a me penetrar aos poucos tentei fugir, mas segurou em minha cintura, sempre apalpando minha bunda e seios.
-Relaxa minha cadelinha que seu macho vai te enrabar gostoso, empurrava e parava alguns segundos voltando em seguida e meter mais um pouco até que sentir o contato de seus pelos ralos em minha bunda.
-Ele deu um tapa na minha bunda e rindo falou...
-Pronto minha potranca meu alvo foi alcançado, relaxa...
- Logo começou a meter com um ritmo cadenciado, e parava voltava a meter com muita força!
-Eu gemia, mas não era de dor, mas de prazer. Para piorar eu gozei novamente aí ele se achou o tal... Meteu falando tantas palavras obcenas que soavam como musica angelical aos meus ouvidos...
Enquanto isso ele ficou me xingando de todos os nomes possíveis... Vadia, vagabunda, cadela, safada, gostosa boqueteira, dizia que meu ex era frouxo por deixar uma cadela como eu, não parava de socar e sempre dando várias tapas na minha bunda que já ardia muito.
Enfim, ele gozou... Pensei que era um touro, pois senti seus espasmos de esperma dentro do meu rabo, ainda bem que a camisinha aguentou.
Ficamos atracados depois ele pegou minha calcinha limpou minha xoxota e guardou no bolso de sua calça. Nós vestimos e ele me disse que me levaria até perto da porta de minha casa.
Assim fizemos eu desci quando ele me deu um beijo.
E já foi falando para que não contasse a ninguém, pois era noivo e se a noiva dele que estava viajando soubesse de algo eu iria me arrepender de ter nascido.
-Fiquei assustada com suas palavras desci do carro entre soluços.
Entrei em minha casa tomei banho, e esfregando meu corpo com força lembrando com raiva e tesão como tinha sido usada.
Olhei-me no espelho e vi marcas de prazer, minha bunda vermelha um chupão no meu ombro, mas alegre feliz e saciada. Foi uma experiência diferente,mas enquanto tomava banho gozei pensando na parada que foi nosso encontro e cheguei a conclusão que foi maravilhoso,os homens que fui possuída por ele.
E depois desta fatídica madrugada eu nunca mais o esqueci. Mas cada vez que me lembro destes fatos, sinto raiva e prazer. Pois foi á partir daquele dia que me transformei em sub. Não aquentei e fui lhe procurar e sou agora sua amante permanente e cadelinha secreta.
Para quem não sabe procure se informar.
Sinto imensamente prazer em compartilhar meu corpo e meu prazer com meu Dono.
Que neste exato momento está dormindo enquanto eu em minha caminha ao lado dos pés da cama escrevo este pequeno relato. Obrigado meu Dono Mário por me proporcionar intensos prazeres.
Ah... Eu voltei para meu namorado Marcos, mas só de fachada mesmo pois ele é tão galinha que agora eu resolvi fazê-lo de corno.Todos sabem com exceção dele é claro.
Afinal alguém precisa pagar minhas contas.
A vingança precisa ser completa


Docecomomel(hgata)
Feira de Santana, 07 de maio de 2014.
Imagem coletada no google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suas palavras...Minhas emoções!

Marcadores

Crie Não Copiei

Crie Não Copiei

"Meu Nascimento" 12/07/2010.

"Meu Nascimento" 12/07/2010.
Como sem querer envoltos em pensamentos de carinho e amor nasceu a concepção deste Blog. Meus contos são a prova viva de quem sabe não precisa nascer sabendo.Aprendi a andar sozinha e sei o meu real valor...O que muitos que se julgavam capazes pisam e desmoralizam. Nada sabem. Não sou fake nem tão pouco poetisa. Sou Mulher humana que faz de seus descaminhos errantes estradas de Paz e Luz para todos."Sou docecomomel(hgata)" Meu primeiro conto erótico 12/7/2010.

Posts