.

.

Acessos em Êxtase !

.Contos Eróticos de Docecomomel

.Contos Eróticos de Docecomomel

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Transei Com Empregada Casada Safada:





 Aílton e a empregada da irmã... Vou me apresentar eu sou o Ailton tenho 31 anos sou negro tenho 1.82 de altura cabelos curtos e pretos com olhos pretos.
Sou bem negro mesmo e não sou complexado com minha cor acho que o mais importante da pessoa é o caráter. Gosto da minha descendência afro. Sou bem musculoso e tenho um dote de 21 cm grosso com a cabeçorra bem avantajada. Algumas gurias que já treparam comigo me disseram que pareço um jegue, não pelo tamanho, mas pela formação da cabeçorra do meu cacete. Elas adoram sentir prazer quando começo a meter dizem que se sentem divididas.Assim começa minha mais nova aventura.
Eu estava meio sonolento deitado esparramado no sofá quando ouço a safada da empregada da minha irmã falar é hoje que me acabo com este “Mauricinho”.
Eu tinha tomado umas cervejas e estava ainda meio bêbado.
Em poucos minutos senti uma boca me beijando.
Abri meus olhos e dou de cara com a empregada de minha irmã de babydool ajoelhada bem juntinho saboreando de meus lábios.
Despertei em minutos e segurei em sua mão levando até o meu quarto, e assim que entramos ela fechou a porta.
Sem palavras a fiz ficar abaixada a meus pés e abrindo minha braguilha coloquei meu cacete para fora já rígido.
Ela arregalou os olhos por ver a grossura e sem nada dizer começou a lamber e chupar meu cacetão.
Muito safada desde que vim passar as férias aqui na capital que observava a safadinha me olhando.
Eu nem me preocupei se minha irmã estava em casa ou não, mas a Eliana a empregada disse temos o resto da noite e o dia para nos divertir Aílton. Sua irmã foi para casa da sogra só volta amanha de noite.
-Ah é? E você ficou fazendo o que aqui?
-Fiquei fascinando não fui para minha casa porque queria ficar com você!
-E seu marido?
-Ah deve está no bar bebendo enchendo a cara que é a coisa que mais sabe fazer na vida. E você não tem medo dele descobrir?
-Eu nem me importo com ele!
_ Eu quero é me acabar nesta tora negra tua estou cansada de usar meu dedo enquanto meu marido cheio de cerveja só faz dormir e roncar.
- ah que peninha que estou da minha gazela... Vem que o Ailton vai te dá o que tu mereces e precisa:
- E a putinha subiu na cama e começou a tirar a roupa foi logo dizendo:
-Ah Aílton é agora eu me acabo nessa tora.
-Não pensei duas vezes e tirei minha roupa toda e caímos na cama fazendo um sessenta e nove (69).
-A safadinha estava cheirosa ficou enganchada na minha cara, senti seu melzinho na minha boca.
Lambi e chupei seu grêlinho vermelhinho que tremulava entre meus lábios, a safada gemia alta e falava safadeza e tirava e botava meu cacetão grosso.
Na boca, lambia e chupava ate meus culhões que estavam durinhos cheios de leitinho pra dá pra ela.
Era bom demais sentir sua língua subir e descer por todo meu cacete. Sua saliva escorria pelos cantos dos lábios,meu cacete parecia um porrete brilhando de molhado já não aguentava mais de tanto tesão.
Ai dei uma lambida bem safada no reguinho da putinha e em segundos senti seu gozo.
A safada gemia e rebolava que minha cabeça ficava presa entre suas coxas roliças.
-Gozou muito putinha safada pensei que ia me afogar de tanto gozo que a putinha liberou na minha boca, foi aí que senti a carência de sexo.
-Logo sai de baixo e deixando-a deitada com as pernas escancaradas coloquei camisinha.
E sem dó a deixei de frango assado e meti cacete a safada sem vergonha gemia e gritava de prazer e dor.
Era um gemido a cada metida.
A coloquei em todas as posições possíveis.
Foi de ladinho que mais senti tesão,enfiava meu cacetão e prendendo as pernas da vadia,fiquei uns bons minutos metendo sem parar ,tirava o cacete deixando só a cabeça dentro e logo atochava todo de vez, a safada gemia que parecia uma cadela.Não conseguia me controlar de tesão a virei e colocando suas pernas em seus ombros comecei a gozar parecia que eram litros de leite com a intensidade do prazer que senti do meu gozo.
Fiquei parado dentro dela e parecia que meu cacete não queria abaixar...
Levantei tirar camisinha e logo a putinha já estava ajoelhada na cama me lambendo deixando meu cacete limpinho.
 Fomos tomar banho e em poucos minutos estávamos no banheiro como dois loucos alucinados trepando embaixo do chuveiro. Fomos descansar e logo no amanhecer transamos de novo.
Parecia um amazonas louca cavalgando no meu cacete. Quando a safada gozou levantei e deixando ela deitada dei-lhe um verdadeiro banho de porra. A safada adorou, mas saiu fora quando eu disse que queria seu rabinho.
Ah Ailton deixa para outra vez você já esfolou minha xoxota com este cacete grosso.
Como sou compreensivo concordei... Mas só ate o entardecer.
Ela aceitou e estou relatando este fato e a safadinha está tomando banho e já vem para cama.
Aí sim ela vai saber o que é tomar no rabo...
Depois eu conto.

Docecomomel(hgata)
"Não confundam o autor com sua obra"
Visitem meus blogs

Um comentário:

  1. Boa tarde poetisa, diante deste conteúdo erótico/afetivo, a nossa excitação vai as alturas, por que destes aos teus personagem, uma libidinagem despudorada atrevida safada, e estes protagonizaram uma sessão de fodas de nos arrancar um gozo delicioso durante a apreciação desta luxuria toda, onde uma buceta faminta faz uma parceria fudida com um caralho bem dotado e desbravador, parabéns pelo seu excitante contexto sensual, eu te desejo uma excelente semana, um grande abraço, MJ.

    ResponderExcluir

Suas palavras...Minhas emoções!

Marcadores

Crie Não Copiei

Crie Não Copiei

"Meu Nascimento" 12/07/2010.

"Meu Nascimento" 12/07/2010.
Como sem querer envoltos em pensamentos de carinho e amor nasceu a concepção deste Blog. Meus contos são a prova viva de quem sabe não precisa nascer sabendo.Aprendi a andar sozinha e sei o meu real valor...O que muitos que se julgavam capazes pisam e desmoralizam. Nada sabem. Não sou fake nem tão pouco poetisa. Sou Mulher humana que faz de seus descaminhos errantes estradas de Paz e Luz para todos."Sou docecomomel(hgata)" Meu primeiro conto erótico 12/7/2010.

Posts