.

.

Acessos em Êxtase !

.Contos Eróticos de Docecomomel

.Contos Eróticos de Docecomomel

terça-feira, 19 de abril de 2011

Desejos & Corpos Ardentes!



Desejando o Impossível? Concerteza não!
*Isto aconteceu há alguns anos atrás quando meu marido foi transferido para trabalhar em uma Multinacional no estado do Amazonas.
Ele como diretor geral tinha algumas regalias, como exemplo carro com motorista empregado domésticos, e coisas mais que só empresas estrangeiras dão este privilégio seus diretores e adidos de seu corpo de funcionários.
Sabia que iria ficar três anos longe de meu estado e da minha família, mas tudo por um bom salário.
Casei-me ainda jovem e meu marido 12 anos mais velho que eu já não tinha a mesma disposição para o sexo. Eu passava a maior parte do tempo em casa,sem amigos e em lugar estranho. As pessoas que eu via ao meu redor eram muito pobres e isto me causava grande tristeza. O poder aquisitivo não ofertado a todos de forma igual.
Nossa casa com piscina era enorme e quando meu marido viajava sentia-me presa em uma clausura. Os únicos contatos que eu tinha eram com os dois empregados que conviviam na casa.A Diana arrumadeira e o motorista Diogo ambos escolhidos e pagos pela empresa . Ficava o dia inteiro à minha disposição.
Os dias eram longos e quentes e meu local preferido era a piscina.
Certa vez estava nadando e via sob os óculos escuros os olhares permissivos de nosso motorista.
Diogo era afro-descendente e tinha mais ou menos 1,85m, 32anos, forte, com dentes brancos, muito educado e muito gentil.
A Diana era uma negra já com seus 45 anos, um doce de pessoa me tratava como a uma irmã mais velha.
Os dias se passavam e às vezes meu marido viajava para resolver problemas com fornecedores ou no canteiro de obras e ficava quase uma semana sem aparecer em casa. Foi em um dia assim com meu marido longe que eu na piscina ,adormeci e fiquei horas exposta ao sol.Senti um mal estár ,mas nda preocupante.
Já bem tarde Diana veio me cumprimentar dizendo que já ia para sua casa, mas que estava tudo em ordem e caso quisesse algo era são mandar o motorista ir lhe buscar.
Quando meu marido estava ausente em viagem tinha um revezamento dos empregados para ficar no pernoite. Este dia quem iria ficar seria o Diogo. Antes do jantar que era sempre as 20 h eu resolvi tomar uma dose de whisky,coisa que não tenho habito é de ingerir bebidas alcoólicas.
Acredito que excedi o limite de minha capacidade de beber e disse coisas ao nosso motorista além do normal. Fiquei literalmente bêbada .Eu meio tonta coloquei uma musica e comecei a dançar chamando o Diogo para me acompanhar.
Ele nada me respondeu, mas eu notava seus olhares de cobiça E dançando pela sala, onde eu mal conseguia andar direito. O som frenético ensurdecedor.Peguei-o pela mão e puxei ate o meio da sala ,e dançava com ele que no inicio ficou meu estático ,mas depois resolveu entrar no meu ritmo.Eu me insinuava para ele esfregava meu corpo ao dele.
Estava me comportando igual a uma garota de programa e não tinha noção onde ia parar. E Diogo começou a me abraçar,sentia seu hálito quente em meu pescoço.Me acariciava mesmo, como a uma namorada sua ou mulher.Eu apenas ria e correspondia a seus carinhos.
Eu pude notar um volume enorme em suas roupas. Estava excitado.
Ele não parava de olhar meus seios que não são pequenos, mas tem os mamilos róseos e sempre em estado de ereção. Os bicos quase chegam a perfurar minhas blusas Mas tinha um porém o Diogo era casado.Eu notava que ele me queria mas ele relutava por seguir por caminhos perigosos e tortuosos.
Envolver-se com mulher do patrão é um perigo, mas o desejo era imenso.
Enquanto ele estava ali a minha frente, minha cabeça era invadida por desejos causados pela visão daquela ferramenta debaixo de suas roupas.
Eu nada pensava a não ser de como poderia seduzir aquele negro viril.
Eu jamais havia traído meu marido, mas a carência, a solidão misturados com a curiosidade excitação começavam a tomar conta de meus desejos. Meu corpo estava em estado constante de excitação.
E porque não dizer eu estava mesmo era querendo cair na safadeza. Sem colocar desculpas esfarrapadas.Sim transar ate dizer chega ando cansada do papai e mamãe com meu marido que só pensa em trabalho e acumular riquezas.Sou jovem sinto desejos de carne ,quero aproveitar o que tem de melhor na vida e o prazer carnal e a coisa mais gosta que tem.
Eu queria sim meter com aquele negro ali e agora e não iria demover destes pensamentos.
Resolvi instigá-lo e disse que eu iria trocar de roupa, e pedi que ele me acompanhasse ate o meu quarto. Ele submisso me seguiu,não me olhava diretamente,ficava cabisbaixo,olhando pelo canto dos olhos.
Será timidez?
Fui até o guarda roupa e peguei algumas peças de roupa e uma toalha.
E tirando as minhas roupas me dirigi ao banheiro passando bem próximo a Diogo que surpreso me fitou.
Afinal eu estava pelada.
Sinto seus olhos cravados em minha bunda a me seguir ate a entrada do banheiro.
E tomando meu banho pensava na bela visão do pênis do Diogo em estado de excitação.
Enorme era o desenho que observava sob sua roupa que estava super apertada desenhando todo seu majestoso cacete.
Entrei no banheiro e pensei em mil coisas, Sentia toda masculinidade de Diogo próximo, ansiava seu corpo. Sai do banho com um leve roupão de seda que mostrava minhas pernas.E fui para a sala sempre acompanhando de meu serviçal Diogo.Que me seguia com seus olhos de lince pronto a dá o bote na sua presa.
A espreita.
Sentei no sofá e com copo de bebida olhava acintosamente Diogo, desejava está em seus pensamentos.
Esticada em uma poltrona fechei os olhos, pensando e desejando o imaginável, senti arrepios.
Não era frio era desejo de consumar algo que mostrasse a impetuosidade daquele serviçal.
O Chamei pedindo que ele sentasse a meu lado, sem dizer uma palavra ele sentou e esticando as mãos, Começou a me acariciar, nossas respirações ofegantes.
Nada dizíamos, sem palavras.
Eu estava me oferecendo, ele desejando minha oferta, a oferenda era meu corpo. Foi quando pude notar o membro enorme que ele tinha.
Ele olhou-me e pegando no colo me levou até a cama.
Deixando-me deitada e sentou-se na beirada da cama.
Veio até mim e comecei a me despir lentamente, eu comecei a tirar sua camisa em seguida sua calça logo estava sem roupa como queríamos excitados ansiosos para se amar.
Senti-o extremamente ofegante e com os dedos começou uma massagem. Meu corpo explorado pelos seus dedos e mãos.Comecei a sentir vontade de ter mais junto a mim.
E vendo seu membro bem próximo a meu rosto, não titubeie e comecei a lamber seu cacete...
Ele quase enlouquecido, ficou olhando me desejando e já em clima de sedução começamos um sessenta e nove gostoso.
Sua língua morna e áspera delineava desenhos em minha xoxota, colocando meu clitóris entre seus lábios sugando e aspirando de meu aroma, entre gemidos.
Caracas... Quase não conseguia respirar a tora negra grossa afundava em minha garganta deixando-me sufocada de prazer.
Jamais havia visto um cacete tão grande e grosso.
Senti um friozinho de prazer só de pensar em ter aquele membro dentro de mim.
Minhas mãos se fechavam segurando o seu membro e ainda sobrava um pouco, segurava aquela jóia descomunal e preciosa entre minhas mãos.
Ansiando cada pedacinho dentro de mim.
Era se entregar e retribuir os prazeres, nossa que sensação gostosa, teve um orgasmo só com a língua dele.
Contorcia-me de prazer. Esperei seu leite mas com jeitinho ele tirou seu cacete de minha boca ,não querendo que eu provasse de seu sabor,ainda é claro.
Ele aproveitou o momento de meus orgasmos ficou entre minhas pernas e começou a passar cabeça do cacete enorme, na entradinha de minha xoxota, sentia lentamente a pressão da cabeçorra, que começou a me rasgar. Cada pedacinho que me penetrava era dor e prazer sentido.
E deitado sob meu corpo, sentia a pressão de seu membro enorme, rasgando-me me deixando preenchida.
Os meus seios eram sugados, lambidos devorados. Tive outro orgasmo que me deixou sem força tamanha a intensidade. Mas seu vai e vem constante me elevava as nuvens,os prazeres constantes.Senti sua explosão.Seu membro exporrou deixando minha xoxota cheia de esperma.
Logo começou a escorrer pelas pernas.
Acordei na manha seguinte com dor de cabeça e a xoxota ardente.
Fui tomar banho e pude visualizar no espelho do banheiro uma marca deixada pela boca de Diogo. No meu seio direito.Coisa que terei que providenciar uma leva maquiagem para disfarçar.
Afinal poderia ter problemas.
Meu marido chegou no dia seguinte e nem desconfiou.
À noite saímos para jantar e quando Diogo abriu a porta de nosso carro quando me aproximei senti seu estado de ereção.
Mas com aproximação do patrão vi muito envergonhado.
E sem palavras sabíamos que nosso segredo seria guardado.
Afinal eu sabia que repetiríamos.
E quando meu marido estava viajando praticamente transávamos a semana inteira. Pois para suportar aquele tradicional papai e mamãe constante sem mudança nem variações. Com meu marido,nada melhor do que um...Só isto me completava.
Só um negro safado e bem dotado como o Diogo para saciar o meu apetite voraz por sexo. Com direito a banho de língua e uma infinidade de posições.
Sinto cada vez mais a presença constante de Diogo em minha vida, meu corpo e minha cama. Ah ...Como desejo que Diogo pudesse ficar eternamente me aquecendo entre seus braços.
Ardência de corpos.


Docecomomel(hgata)
http://sensaçoescomemoções.com
http://desejosdeInsanos.com
"Não confundam o autor com sua obra"

Imagem do google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suas palavras...Minhas emoções!

Marcadores

Crie Não Copiei

Crie Não Copiei

"Meu Nascimento" 12/07/2010.

"Meu Nascimento" 12/07/2010.
Como sem querer envoltos em pensamentos de carinho e amor nasceu a concepção deste Blog. Meus contos são a prova viva de quem sabe não precisa nascer sabendo.Aprendi a andar sozinha e sei o meu real valor...O que muitos que se julgavam capazes pisam e desmoralizam. Nada sabem. Não sou fake nem tão pouco poetisa. Sou Mulher humana que faz de seus descaminhos errantes estradas de Paz e Luz para todos."Sou docecomomel(hgata)" Meu primeiro conto erótico 12/7/2010.

Posts