Crie Não Copiei

Crie Não Copiei

Seguidores

quarta-feira, 2 de março de 2011

Dando para o marido da minha mãe!


Dando para o marido da minha mãe


Desci do ônibus olhando de um lado para outro.
Minha mãe disse que viria me buscar.
Afinal depois que casou de novo e foi morar no interior fazia tempos que não nos víamos.
Logo um mulato forte aproximou-se de minha pessoa, indagou se eu era a Marcela filha de Elza?
Sim sou eu mesma.
_Muito prazer sou o Getulio marido de sua mãe.
_ Prazer é meu, onde está ela?
Foi ao medico, pediu-me para vim buscá-la, daqui passamos na clinica pra ir buscar-la.
Bem o atual marido de minha mãe era até simpático.
Mas na verdade não quero muita intimidade.
Chegando a clinica entre beijos e abraços minha mãe sorria. Estava feliz de eu não ter ficado magoada, afinal ela separou-se de meu pai.
E bem melhores caminhos opostos separados do que viverem infelizes.
Eles estando felizes claro que os filhos também ficam.
Fomos para casa e já ficamos de sair na sexta-feira para dançar.
Ah Marcela o Getulio é um pé de valsa adora dançar você vai gostar dele.
Tudo bem mainha amanha veremos os dotes de dançarinos de seu novo marido.
_Claro filha eu estou muito feliz com ele, saímos muito e nos divertimos bastante.
E você sabe minha vida sexual é super ativa. Sei que seu pai também já esta de mulher nova.Desejo felicidades,afinal o desgaste de nosso casamento estava nos prejudicando muito.
Tem razão mãe...
_Realmente estou feliz demais, dizendo isto me deu um beijo.
No outro dia fomos a um local para dançar, eu Getulio e minha mãe.
Dancei muito com amigos de minha mãe e com Getulio, mas eu notava que ele ficava excitado enquanto dançava comigo, delicadamente disfarçava, me deixando constrangida.
Caracas o cara era tarado mesmo.
Isto me deixou com a libido ativa.
Na sábado minha mãe iria trabalhar e pediu para o Getulio me levar a lugares bonitos para conhecer a cidade.
Fui... Mas não achei que iria acabar transando com o meu padrasto.Já era umas 16 horas quando o Getulio me disse que me levaria a uma vila onde tem uns lugares antigos para tirar fotos ,coisas ainda do tempo do Brasil colonial.
Eu fui e adorei ver a igrejinha, construídas pelos escravos engenho a estação de trem, antiga e desativada.
Quando já estávamos de volta o Getulio estava estranho.
Mas nada eu poderia fazer até que. Em nosso retorno o Getulio parou o carro e bruscamente me abraçou.
Opa. calma que coisa!
Ah menina deixa de bobagem que sei que você esta querendo tanto quanto eu sinto seu cheiro de fêmea no cio.
E sua mãe me disse que você esta sem namorado.
Vem provam de papaizinho aqui.
Aqui não passa ninguém se você não quer te deixo ai.
Mas Getulio que coisa!
Que tem menina da um fodinha com um coroa caipira como eu.
Venha desça do carro.
Assim eu fiz ficando do lado do carona.
Ele pediu que eu colocasse as mãos sobre o carro que ficaria bem juntinho só para dá encochada.
Seu cacete estava explodindo de tesão.
Notava sua bermuda esticada na frente.
Eu me apóie com as costas no carro e ele com suas mãos me acariciavam-me com jeitinho se aproximando tirou minha calcinha que caiu por terra.
Claro que eu estava excitada.
E ajoelhando a meus pés começou a me chupar.
Que... Minha gostosa sua xoxota vai me afogar de tanto gozo.
Realmente eu gozava aos borbotões.
Assim me fez gozar muito em sua boca.
Sem pressa, como estivéssemos em um local fechado.
Não em uma estradinha de uma vila do interior.
Colocando-me de costas e com jeito para que se ocorresse passar alguém não o notasse tirou sua cueca, e colocando seu mastro para fora começou a meter seu cacete entre as minhas pernas.
Que logo encontrou o caminho da minha xoxota e com estocadas fortes meteu todo.
Gemi de prazer.
Naquela posição, vendo seu membro piscando e latejando dentro de mim.
Sentia seu odor forte de macho gemendo, na minha nuca dando beijos molhado por todo meu pescoço.
Sentia ondas de êxtase ficava toda arrepiada.
Suas estocadas eram em ritmos sensuais, sem violência.
Induzia-me a rebolar em seu cacete. E que cacete grosso ein.
Eu disse que eu iria ser bem carinhoso, que não deixaria doer.
Sei fazer com prazer Marcela.
Foi movimentando pouco a pouco até que eu me entreguei de corpo e alma aos prazeres.
E passamos gemer num misto de dor e prazer, explodindo em um orgasmo.
Depois daquela safadeza fomos para casa.
Depois ele me levou a um motel, em um horário que minha mãe estava no trabalho.
E fizemos uma verdadeira sacanagem.
O Getulio e eu fodemos tanto que perdi a conta dos orgasmos que tive.
Nos dia seguinte disse a minha mãe que já iria embora.
Ela não entendeu porque a pressa, mas precisava ir afinal iria dá problemas, pois ate ir ao meu quarto enquanto ela dormia o Getulio queria.
Dando desculpas de trabalho logo retornei.
Para evitar um problema maior é melhor fugir.
Mas quem disse que o Getulio me deixa na saudade sempre tem assuntos a resolver e algumas vezes.
Aparece com a desculpa de pernoitar.
Minha mãe fica feliz de saber que ele na minha casa não vai querer sair com mulheres da capital, que este seguro!
Mas fazer o que né?
Realmente mãe ele esta bem seguro... Mas entre as minhas pernas.rsrsrsr assim ele fica para dormir.
Se for possível conseguir dormir com ele.
Parece uma maquina de foder.
È Claro que meu padrasto bom de cama me deixa saciada e feliz.
E afirma que minha mãe jamais poderá saber, mas que fica impossível para ele ser de uma mulher só.
Que bem antes de mim já tinha suas potrancas para saciar-lhe com a maior descrição para não deixar minha mãe saber, pois a ama e precisa conciliar a vida sexual com a emotiva. Bem ate que neste ponto ele é correto.
Mas que cara safado e gostoso.
Pois sempre achei muito arriscado andar com homem casado.
Ele foi uma exceção, pois no início eu não queria.
Mas valeu muito a experiência, pois Getulio é muito gostoso.
E gosta de deixar as mulheres da família realizadas e felizes.


Docecomomel(hgata)
Imagem do google
"Não confundam o autor com sua obra"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suas palavras...Minhas emoções!